Instituto Superior Técnico

Conselho Pedagógico

Missão

O Conselho Pedagógico tem por missão zelar pela qualidade pedagógica da Escola, respeitando as orientações estratégicas do Conselho de Escola e as competências do Presidente do IST.

Boas-Vindas

Caro Novo Estudante do Técnico,

Muitos parabéns e bem-vindo ao Técnico, de cuja comunidade passas a fazer parte, participando no seu futuro.

O Conselho Pedagógico estará presente na sessão de Boas-Vindas do teu curso, onde esperamos encontrar-te no início desta nova etapa da tua vida.
Podes sempre contar connosco a partir deste momento.

A equipa de Professores e Estudantes da Comissão Executiva do Conselho Pedagógico,

Teresa Peña                           Beatriz Isidro
Carlos Santos Silva            Ricardo Lameirinhas
Miguel Teixeira                    Leonor Matos

 

Linhas orientadoras para Estudantes e Professores:

Um princípio fundamental a seguir é centrar o ensino no objectivo da aprendizagem e não na avaliação, encarando esta última como um meio e não um fim.

 

[Estudantes] Aprendizagem:

– Inscrição, preferencialmente, em não mais de 30 ECTS por semestre e não mais de 15 ECTS por período.
– Frequência elevada às aulas, independemente da sua tipologia (teoria, problemas, laboratórios, hands-on, etc).
– Organização do tempo de estudo autónomo para todas as UCs num calendário semanal.
– Organização do tempo de preparação para avaliação num calendário de todo o período/semestre.
– Organização do trabalho para garantir a entrega dos trabalhos no final das aulas, de modo a que na semana de preparação para exames se realizem apenas apresentações e discussão de projectos e relatórios.
– Relembrar os docentes do benefício de um intervalo breve a meio das aulas de 2h.
– Solicitar aos docentes orientação para o estudo autónomo.
– Solicitar aos docentes uma estimativa de quanto tempo se espera na execução de cada projecto.
– Certificar com os delegados que MAPs e prazos de entrega de relatórios e projectos se encontram uniformemente distribuídos ao longo do período, pedindo alterações, se necessário, antes do dia 25 de Março-

 

[Docentes] Relativamente ao ensino:

– Implementar um intervalo breve a meio das aulas de 2h.
– Nas aulas expositivas, suscitar a intervenção e perguntas dos estudantes com alguma frequência.
– Disponibilizar materiais de apoio às aulas e ao estudo autónomo antes de cada matéria lecionada, introduzindo, quando a dimensão da turma permitir, o formato de flipped-classroom.
– Manter uma componente prática relevante nas aulas Teórico-Práticas.
– Indicar na página da UC as horas expectáveis de trabalho autónomo requerido ao longo do período (preferencialmente a estimativa da distribuição por semana)
– Promover o uso de ferramentas digitais que facilitem o estudo autónomo, sem necessidade de recurso constante aos docentes.

 

[Docentes] Relativamente aos métodos de avaliação:

– Utilizar os MAPs como Monitorização para melhor planeamento de estudo e dos métodos de ensino e não como testes tradicionais, especialmente se a percentagem de avaliação contínua é inferior a 100%. Nesse sentido, recomenda-se a não utilização de MAP45, a não ser quando estritamente necessário dada a natureza da UC, e nesse caso não mais de 2, optando-se por 2 apenas quando a avaliação é 100% contínua.
– No caso de MAPS semanais, considerar um subconjunto para classificação evitando que perda de uma MAP por motivo inesperado e.g. doença ou outro, prejudique significativamente a nota desta componente.
– Diminuir a variedade de tipologias e a quantidade de momentos de avaliação contínua ao longo de cada período: as melhores práticas do 1º semestre indicam um valor ideal de 2  tipologias diferentes de avaliação contínua por UC.
– No caso de projectos a realizar num único período lectivo, redimensioná-los em relação às práticas de UC semestrais. Projectos planeados para 14 semanas não devem ser aplicados no mesmo formato a 7 semanas. Relembra-se que, de acordo com o regulamento de avaliação, é necessário  que os docentes da UC estimem o tempo que os alunos terão de gastar em cada projecto, redimensionando-os em caso de necessidade, e indiquem os critérios de avaliação.
– Dar feedback célere na avaliação contínua; recomenda-se a utilização de meios de avaliação digital com correção automática, ou o recurso a Teaching Assistants e Graders.
– Flexibilizar e limitar ao mínimo possível a discussão de projectos e relatórios durante a semana de preparação para exames.
– Limitar a imposição de nota mínima no exame final, sobretudo quando o exame tem um peso inferior à componente continua.
-No caso de UCs em que os conteúdos avaliados em exame não acrescentam valor formativo relativamente ao avaliado nos MAPs, dar preferência a avaliação 100% contínua.

 

Consultar também:
Guia para as Avaliações

Avaliação de Conhecimentos e Competências

Atividades Realizadas pelo Conselho Pedagógico

 

—————————————–

 

 

Para a listagem completa das competência do Conselho Pedagógico abrir o Separador Competências.